terça-feira, 30 de junho de 2009

life in cartoon motion

As vezes eu queria que minha vida fosse um romance chick lit, ou um filme. Ou uma fic, ou uma história em quadrinhos, ou melhor, um desenho animado! Aí não teria importância se nada fizesse muito sentido, e todas as desgraças seriam mesmo engraçadas. Porque esse lance de rir da própria desgraça pra não chorar não tá com nada, é só mais uma dessas coisas que a gente faz sem vontade por convenção da sociedade (não perder tempo conversando com pseudo adultos da sua turma na faculdade, fikdik). E tudo que eu desenhasse teria grandes chances de se tornar verdade.. tipo quando o Coyote desenha com tinta Acme na parede um túnel pra enganar o Papa-Léguas, e aí o Papa-Léguas sai correndo pelo túnel e quando o Coyote vai atrás sai um trem e esmaga ele.
Eu seria o trem. E passaria por cima de todo mundo que mexe com a minha família, de todos os professores que não sabem falar com as pessoas, de todos os problemas que atormentam meus amigos, das doenças que acometem quem eu amo, das dívidas de todo mundo que mora perto de mim, e o mundo seria um lugar perfeito.

É, eu seria o trem.

4 comentários:

  1. eu seria a bomba. Aquela q nunca funciona qndo se quer! huahuahuauhauhahuahu
    aaah, sim, eu seria a bomba. com certeza.
    vc me fez pensar sobre isso agora. Eu total sou a bomba.

    ResponderExcluir
  2. ain *.*
    ok, eu me emocionei com esse post, e não é à toa que vc é diva.
    eu seria o trem por todas essas coisas que vc disse, quer dizer... sem querer roubar seu papel, eu seria o trem por vocês, sabe?

    x

    ResponderExcluir
  3. 'sabe, sinto que vcs tao sempre me plagiando' opaksdopaskpoke QQ
    brinqs.

    sei lá. seria o trem.

    ResponderExcluir